Passa

– mas o quê?
– sim, sim! Pode tirar o cavalinho da chuva!
– que cavalo?!
– não se faz de besta. Já chega pra mim! Não aguento seus rodopios!

passa a vida. passa o sangue. oxida. voa o tempo.

– você tropeça demais. Gostaria que se desequilibrasse a alguns metros daqui.
– ora, mas você me segura! Não é esse o pacto?
– ah, faça me o favor!

passa a vida. passa o sangue. oxida. voa o tempo.

– sim, eu sei. Amo você como nunca amei ninguém.
– eu também, meu bem.

 

  • por Luiz Eduardo

15 thoughts on “Passa

  1. No final, é amor mesmo!
    Sempre gosto do que você escreve, aprecio demais sua sensibilidade.

    Obrigada pelos comentários que você deixou em meu blog. Fico feliz que esteja gostando! (: Você é sempre bem-vindo por lá!

    Um beijo.

  2. E isso aí é uma coisa que eu não entendo, não dá para entender, e dúvido que alguém entenderá. Não faz sentido.

  3. Hahaha!
    É sempre assim, né?
    As pessoas se acabam durante toda a relação. Destroem confiança. Perdem liberdade. E no fim, elas se amam é é aí que vão se dar conta disso. Uma pena!

    Lastimoso!

    E quanto ao seu sumiço, eu só perdoo porque consigo ser mais sumida que você, haha!

    =*

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s