24/12/2010

 

Como é difícil começar. Nessa tarde, do dia 24 de Dezembro de 2010, o céu em Belo Horizonte está claro e com poucas nuvens – enquanto observo, um avião rasga o azul. Até que não havia muito trânsito nas ruas, dirigi tranquilamente, ouvindo Marcelo Camelo e fumando um cigarro. Dei-me alguns presentes natalinos, um cd do Bob Dylan e uma revistinha da Marvel; minha mãe me deu um livro, Crônicas de viagem, da Cecília Meireles e um dvd.

Agora, penso no mundo, penso nos choques, nos instantes que alteram, integralmente, nossas vidas, devido à mínimas atitudes e espirro algumas vezes. No laptot, toca o cd ‘’The Way the Wind Blows’’, da banda A hawk and a hacksaw, um folk-eletro-punk-psicodélico, que me leva, novamente, às ruas da inesquecível/urbana/divertida, Glasgow. Que clima delicioso e acolhedor no Eurohostel, em frente ao rio Clyde, com belas e brancas gaivotas voando, enquanto eu e minha namorada comíamos cerejas e dávamos risada; ora, até foto com Sir Walter Scott eu tirei – tá que foi com seu monumento. E, se deixar, a mente vai…a lembrança conduz à terras distantes, sabores de pães e sucos de maçã; ao toque de um grande amor e à ansiedade por encontrá-lo.

Os pensamentos caminham por linhas tortas, com pernas fortes, mas que bambeiam e, enquanto isso, nossos sentimentos criam tempestades, calmarias e outonos ao redor dessas passagens. E, agora, sentado aqui, escrevendo, escuto o barulho de panelas, as conversas, TVs que estão ligadas e crianças… Ah, como as crianças sabem viver o natal! As que vivem com fartura egocentricamenteinadequadas, até que não aproveitam tanto, pois enjoa, não há tanta novidade assim, além de um vídeo game de mil e poucos reais; mas, aquelas que não esbanjam tanta tecnologia monetária, essas sim, essas ficam felizes à mínima boneca ou bola de futebol de plástico. Porém, acha que essa necessidade humilde faz com que sejam menos sonhadoras, ou que tenham sonhos diferentes das outras crianças? Não, acredito que, no íntimo, as fantasias são bem parecidas.

Duvido de minhas dúvidas, dos medos e anseios, das vontades, do desejo e, não duvido – são parte de mim, adornam as etapas, quedas e montanhas da linha do tempo que me envolve. Acredito no jazz que ouvi com meus amigos ontem a noite, nas conversas que tivemos, na cerveja e no whisky quente, acredito em nossa amizade. Acredito em minha família, na ceia sem carne, nas bebidas e doces; nos meus sobrinhos que estão chegando, doidos pra olhar os presentes no pé da árvore. Acredito em meu amor, que está com sua família, em outra cidade, mas ao mesmo tempo, não sai de meu peito e pensamento. Acredito em meu amigo, um cãozinho – o que vive comigo em meu apartamento – que não espera nada mais do que carinho e respeito e que passa, todos os dias, como se fossem sinceros natais.

Acredito, até mesmo, no espírito natalino e nos clichês que o rodeiam, pois, por vezes, como faríamos sem os benditos clichês? Acredito nesse texto bem intimista e pessoal que coloco aqui e em seu poder para meu eu. Acredito que essa estrada segue, que cambaleio, mas não desisto. Acredito e, ainda, parabenizo e agradeço a todos aqueles que, assim como eu, não se entregam.

  • por Luiz Eduardo

ps: um FELIZ NATAL a todos!!!

ps2: quero agradecer à Judy (http://dajaneladafrente.blogspot.com/) pelos 2 selos com os quais me presenteou! Muito Obrigado!!! Vou escrever um post só para eles!!

    

6 thoughts on “24/12/2010

  1. Oi , gostei muito do seu texto, principalmente do último trecho em que vc diz que acredita nessa estrada que segue na qual permanecemos mesmos cambaleantes e sem nos entregarmos. Eu também acredito… me emociono em pensar nos momentos difíceis que vivi este ano e realmente cambalentes, mas continuo na luta sem desanimar. Bjos e feliz natal.

  2. Oie😀 O vi na comunidade dos Blogueiros e resolvi invadir e ler um pouco dos seus escritos.
    Confesso que eu consegui desenhar as suas palavras na minha mente e viajar imaginando tudo.
    Um abraço🙂

  3. Edu,

    Viajei no seu texto agora…!!Nunca se entregar,essa é uma das chaves.

    Ó,seu blog merece bem mais que apenas 2 selos. =)

    Feliz novo ano pra vc!

    bjs

  4. O Natal é mágico até para nós adultos, mesmo que de forma diferente e bem mais realista, o que tira um pouco a cor, mas não toda a magia.

  5. Excelentes palavras escolhidas para descrever o natal.

    Vc é simples…muito simples. Que parece ser tão complexo!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s