Isso

Ele não observou quanto tempo ainda tinha. Naquela mesma cafeteria, tudo era o mesmo. Sentia-se como uma simples parte do cenário – fato que o agradava bastante. Por esses dias, não queria assumir outro papel; não queria se preocupar, interagir, olhar as horas ou amar. O ”ser” era muito pesado.

– Cara, como gosto daqui! Parece a primeira vez…

Essa tarde, sentiu-se o homem mais realizado do país e desejou que, por mais vezes, sua maior obrigação e responsabilidade fossem acender um cigarro, colocar o leite na xícara, abrir o sachê de cappuccino ”classic”, misturá-los e, isso.

  • por Luiz Eduardo.

5 thoughts on “Isso

  1. Esse pequeno texto me fez abranger um grande cenário do protagonista, além das frases soltas intensas e misturadas durante a leitura no texto.
    Gostei muito, Luiz.

  2. Como seeeempre você me surpreendendo com seus belos textos!
    Estou bem ausente desse mundo de blogueiros, mas que me perdoem os bons leitores.😉
    Mas concordo com o personagem, o ‘ser’ é muito pesado em um dia ou outro.

    Voltarei com mais frequência. Isso é uma promessa, haha!

    beijão!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s